O Coaching e o Cristianismo são antagônicos!

O Coaching e o Cristianismo 

Me demorei à escrever um pouco sobre a realidade do Coaching e daquilo que eu vejo que não se “encaixa” com a Fé Católica, e para falar a verdade, não se encaixa com o cristianismo em si.  Propositalmente eu queria “ver” o joio crescer, para que mais “crescidinho”, pudéssemos identificá-lo, e apontar alguns de seus extravios e sutis perigos para nossa caminhada; e arrancá-lo seguramente do nosso meio!

De certo, alguns aqui já começarão a se questionar sobre padres, pastores, missionários, e diversas outras pessoas que talvez eles tenham como referência para si, se utilizando de tal titulo de Coach…

Quero dizer que infelizmente muitos estão seguindo caminhos perigosos em seus ministérios, e muitos até se extraviaram do caminho da Verdade, da essência do Evangelho; e seguem a si mesmos e suas fúteis idéias como seus próprios deuses!

Alguns dirão: “Mas Danilo, como pode você falar assim destas pessoas? Tem até padres vivendo essas realidades?”

E eu só quero relembrar que quem entregou Jesus para ser crucificado não foi um pagão, um perseguidor, um revolucionário da época; foi um Apóstolo, um homem na qual Jesus por amor escolheu e elegeu, foi este que com um tipo de teatralidade de amor, entregou Jesus aos seus opositores. Então, não vos surpreenda tal afirmação da minha parte!

Quero também deixar aqui registrado que não vou entrar profundamente na questão espiritual, da visão que eu tenho sobre essa realidade, sua essência e etc, pois me delongaria muito para tratar disso em um artigo somente. Deixarei para tratar de detalhes, da visão da Igreja e tudo o mais, em outros artigos e no meu próximo livro…Aguardem!

Mais uma afirmação importante: Quem trabalha com a questão do Coaching, principalmente à nível da Fé, de misturar “alhos com bugalhos”, jamais se darão por vencidos, justificarão suas práticas com versículos e mais versículos bíblicos, que suas “teses” passam pelo crivo da Palavra de Deus, e que estão anunciando Deus através de “suas ferramentas”, e que estamos equivocados quanto à discordância sobre este assunto…Vão querer usar aquela frase relativista:  que se está ajudando a pessoa, então não há problema algum…Falácias e mais falácias…

Nem vou explorar muito profundamente (por enquanto) a questão financeira e de valores que estes “servos do Senhor” tem embolsado  em seus colóquios motivacionais!

– Demonizar o Coaching?

É claro que aqui não estou demonizando nada em relação ao Coaching, e nem falando de pessoas diretamente, mesmo que na sua mente já possam ter passado diversas! O que eu quero trazer neste artigo, são algumas contradições do ensinamento que contém por detrás da “ideologia do Coaching” – alguns preferem chamar de “Teologia do Coaching”- com as bases cristãs…(Apesar de haver várias contradições, vou expor algumas somente…)

– Mas o que de fato é o Coaching?

Quero trazer aqui a explicação que extrai de um site de um dos principais institutos de Coach do Brasil e como eles definem o que é o Coaching:

“Um mix de recursos que utiliza técnicas, ferramentas e conhecimentos de diversas ciências como a administração, gestão de pessoas, psicologia, neurociência, linguagem Ericksoniana, recursos humanos, planejamento estratégico, entre outras visando à conquista de grandes e efetivos resultados em qualquer contexto, seja pessoal, profissional, social, familiar, espiritual ou financeiro”

E como acontece em geral o Processo de Coaching?

“Conduzido de maneira confidencial, o processo de Coaching é realizado através das chamadas sessões, onde um profissional chamado Coach tem a função de estimular, apoiar e despertar em seu cliente, também conhecido como Coachee, o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que deseja”

Aparentemente o que há de problema nisso? Você acha que nada? Você realmente prestou atenção naquilo que eles descreveram?

Convenhamos, e usemos o mínimo de racionalidade sobre a definição acima:
“…despertar em seu cliente, o seu potencial infinito para que este conquiste tudo o que deseja”

Que tipo de “potencial infinito” pode haver num “ser finito”?

“…para que este conquiste tudo o que deseja..” – Quer dizer que as conquistas do homem depende exclusivamente do seu desejo?? “Se eu quero, eu posso”…Sou eu, os meus desejos, as minhas vontades, as minhas perspectivas que determinam quem me tornarei??

Existe um tipo de “onipotência” disfarçada no objetivo prático do Coaching, que quer “comandar” até mesmo a Onipotência Divina, querendo “manipular” os designios dAquele que realmente tudo pode! Quando eu coloco em mim e em ferramentas a possibilidade de aplica-lás e “conquistar tudo o que eu desejo”, estou colocando em xeque a ação do ÚNICO que é Onipotente; ou ainda tentando competir com Ele “onipotências”…Afinal, posso tanto quanto QUEM TUDO PODE, e quem decide o que serei e conquistarei sou eu! Já é introduzido neste tipo de conceito, um tipo de ideologia venenosa e perigosa, principalmente para aqueles ainda que não estão maduros na sua caminhada com Deus! Entra nesta ideologia um tipo de Soberba e Prepotência; que acaba por deixando de lado a resignação aquilo que Deus quer de nós e para nós!

Isso é o tipo de afirmação que faria rir qualquer ser pensante, mas que dá vontade de chorar quando vemos que há tantos cristãos embarcando nesse barco furado!!
Mas alguns vão dizer: “Eu faço Life Coaching Espiritual…” – Ai é que dá vontade rir mesmo!!!

Vou colocar abaixo a definição que o mesmo Instituto  explica sobre isso:

“O Coaching Espiritual não tem ligação com religião, doutrina ou crença. O Coaching Espiritual tem como foco, proporcionar o equilíbrio entre a paz interior do indivíduo e com o universo em si. A metodologia age de dentro para fora, atuando nas questões internas da pessoa e no seu autoconhecimento. Portanto, o Coaching Espiritual auxilia o ser humano a identificar suas crenças e valores, a reconhecer a sua missão e propósito de vida, a acreditar em si mesmo, a ter amor próprio, a superar limites e assim, deixar um legado positivo, seja em âmbito pessoal ou profissional.”

Eu não sei nem por onde começar a rebater tanta besteira! Vamos lá:
“O Coaching Espiritual não tem ligação com religião, doutrina ou crença…” Se falamos que algo é espiritual, é porque consequentemente quer nos ligar a algo, ou Alguém que é superior a nós, ao nosso mundo; mas o “Coaching Espiritual” não tem ligação com “religião, doutrina ou crença”…É espiritual por que e em que então? Se não liga nada a nada, para que existe?

O texto, de forma confusa tenta responder: “O Coaching Espiritual tem como foco, proporcionar o equilíbrio entre a paz interior do indivíduo e com o universo em si. A metodologia age de dentro para fora, atuando nas questões internas da pessoa e no seu autoconhecimento.”

Espera ai…Essa definição deles já é um tipo de “doutrina/crença”; então já está “nos ligando” a algo que eles acreditam! Essa ligação do indivíduo com o Universo,  é um tipo de crença! E como então eles afirmam que não tem ligação com religião, doutrina ou crença?? Confuso a explicação deles não é mesmo?!

Tem mais: “Portanto, o Coaching Espiritual auxilia o ser humano a identificar suas crenças e valores, a reconhecer a sua missão e propósito de vida, a acreditar em si mesmo, a ter amor próprio, a superar limites e assim, deixar um legado positivo, seja em âmbito pessoal ou profissional.”

Como que um Coaching Espiritual, – que não tem ligação com “religião, doutrina ou crença” – vai auxiliar o ser humano a identificar “suas crenças e valores”…Qual será o ponto de referência destas pessoas para identificar elementos tão ligados a Religião de dentro destas pessoas?

O drama continua: o Coaching Espiritual auxilia o ser humano a[…] “reconhecer a sua missão e propósito de vida, a acreditar em si mesmo, a ter amor próprio, a superar limites e assim, deixar um legado positivo, seja em âmbito pessoal ou profissional.”

Como que um Coaching Espiritual, que convenhamos, pode ser qualquer um que fez uns “cursinhos” por ai – pois não existe regulamentação para tal prática – ajudará alguém a reconhecer realidades tão importantes na vida das pessoas e tão ligadas a Deus?! Como separar missão e propósito de vida, de um chamado e designo de Deus?

Todo ser humano recebe uma Vocação, um tipo de chamado de Deus, uma missão realmente…Mas ninguém se lança num tipo de missão, se não há Alguém que o chamou e o lançou…Em todo chamado, em toda missão, existe um certo tipo de mística da vocação, do chamamento…Não é algo puramente racional…A história do cristianismo é permeada desta Voz que chama, e de alguém que responde à essa Voz! Seja em atividades que podemos nomear de mais “extraordinárias” como muitos santos viveram, ou seja no cumprimento e na dedicação com o amor ao dever de estado que se encontra a pessoa. Josemaria Escrivá nos ensina lindamente esse cumprimento do dever de estado, do senso do dever, de missão e de obrigação, quando realizado com amor e com sentido, é um caminho seguro de Santidade. Mas até no cumprimento destes deveres, é preciso compreender essa Voz que habita e ecoa dentro de nós, pois se não, não será possível entender a grandeza de tais atos, e nada mais fará sentido!

E como amar a si próprio realmente, sem o conhecimento de Deus, sem compreendermos porque Deus nos quis?! Há um anseio dentro de cada um de nós, impresso por Deus em nossas almas, de encontra-Lo, ama-Lo e servi-lO! Há uma esperança VIVA dentro de nós que não se pode ser inventada pela mente humana! E ai está um dos grandes erros da “Teologia do Coaching” achar que por meio da projeção das nossas mentes virão os resultados, que através das “programações” que podemos fazer, os resultados certamente virão de maneira positiva!

Neste caso, o Professor e Filósofo Olavo de Carvalho aborda isso de maneira espetacular quando nos ensina:

“A mente não poderia encontrar dentro de si a solução de seus males, pelas simples razão de que o seu mal consiste em estar fechada dentro de si, sem abertura para o que lhe é Superior. Em vez de criar um sentido, a mente tem de submeter-se a ele, uma vez encontrado.”

Sem este entendimento e abertura para o que lhe é Superior, muitos continuarão nas tentativas de erros e acertos sobre os propósitos de suas vidas, e se depararão muito mais com os seus erros! Querem encontrar pela “força de suas mentes” as capacidades escondidas e as potencialidades em si; mas não percebem que a grande doença que trazem está em estarem fechados em si mesmos! Percebam que não faz o menor sentido quererem se utilizar de algo que está doente para ser o remédio!

São amplas as debilidades dos conceitos que este tipo de “Teologia/Ideologia do Coaching” traz, se formos colocar de frente com a realidade cristã! Isso porque eu me referenciei – por enquanto – em 2 pequenos textos que falam sobre o mesmo…

Não quero me delongar mais, para que não se torne extenso e cansativo o texto, mas gostaria que realmente você avaliasse os pontos colocados, e perceba com nítida clareza que há divergências na raiz da Ideologia do Coaching com o cristianismo…

Em próximos textos, vocês perceberão a ligação que há e que está se tornando “modinha”, dos Coaches começarem também o estudo e aplicação sobre a PNL, da hipnose e outras realidades mais…Por incrível que pareça, tem Coaches introduzindo até mesmo a questão da Terapia da Constelação Familiar! Está virando uma bagunça geral!

Deixe os seus comentários, será importante compreender o seu entendimento sobre o assunto!

Deus abençoe você!

Fonte: Danilo Gesualdo – Membro da Comunidade Canção Nova e atua junto ao Ministério de Cura e Libertação, residindo em Cachoeira Paulista. Para contato envie um e-mail: livresdetodomal@cancaonova.com
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *