Acidente às vésperas do casamento não impediram Adrieli de realizar seus sonhos

Adrieli com noivo Adriano. Foto: Arquivo Pessoal

Dia 15 de outubro é comemorado o Dia do Professor. E o programa Vozes da Paz, apresentado pela rádio São José, no último dia 15 homenageou uma professora da cidade de Mafra-SC pelo seu testemunho de vida.

E, ao homenageá-la, nessa oportunidade abraçamos á todos os professores. O professor que dedica sua vida a ensinar e educar as novas gerações. Sua missão é importante, sua missão é sublime. Seu trabalho, unido ao dos pais e da família, é fundamental para a construção de uma sociedade em que prevaleçam a fraternidade e a solidariedade, a justiça e a paz.

Adrieli Cristiane Petters reside em Bela vista do Sul e participa da capela Santo Antonio. Desde maio desse ano atua como professora de pedagogia no maternal na CEIM Faxinal, profissão que tanto ama.

Noiva de Adriano konkel, Adrieli se casaria no dia 22 de setembro na comunidade onde mora. Mas, dois dias antes, no dia 20/09, um acidente nas vésperas do casamento mudou tudo.

Adrieli estava ajudando os pais em casa, seria o último trabalho dela com eles nos trabalhos com o fumo. Estavam podando o fumo com uma podadeira elétrica e na “ultima bandeja” a faca atingiu sua mão esquerda lesionando gravemente seus dedos. Se mantendo muito forte à todo momento, chegou lúcida ao hospital às 16:00h. Entrou para o centro cirúrgico já sabendo que teria que amputar o dedo indicador pois a lesão foi tão grave que era praticamente inevitável a amputação; os médicos não entendiam como ela suportou tanta dor e chegou consciente ao hospital.

Adrieli conta que em todo momento clamou a intercessão de Nossa Senhora Aparecida a qual é muito devota para que permanecesse ao seu lado e conduzisse os médicos a fazerem o melhor.

Ao sair do centro cirúrgico por volta das 19:00h, recebeu a notícia que não precisaria amputar o dedo indicador, embora a lesão tenha sido muito grave. Durante a cirurgia o médico encontrou uma veia que não tinha se rompido, o que rendeu à ela a graça de não necessitar amputar o dedo – o primeiro milagre.

Todos ao seu redor admiram-se da força e coragem que Adrieli teve, pois, mesmo com as forte dores, grande perda de sangue, a decepção de precisar adiar o tão sonhado dia do casamento, nunca se questionou o porque de tudo isso e mantinha o sorriso no rosto e a gratidão por estar aqui. Sua fortaleza que vem de Deus sustenta sua fé em que Deus não faz a obra pela metade e a certeza que a recuperação será completa e em breve.

Hoje, ela está em uma recuperação lenta em meio às consultas e curativos, e espera a liberação dos médicos para marcar nova data de seu casamento.

Os amigos dizem: “Adrieli é um exemplo de superação e fé. Mesmo com tudo que aconteceu não deixou de agradecer pelo milagre da vida; uma pessoa forte pois ela confiou o tempo todo em Deus e entregou tudo em suas mãos. Ela é amorosa, solidária, uma pessoa muito amada por todos. Por isso, ela merece ser homenageada nesse Dia do professor.

O acidente da professora Adrieli ocorreu exatamente no dia do seu aniversário, e, talvez essa seja a maior prova de sua vida.

Adrieli à esquerda com alunos do maternal. Foto: Arquivo Pessoal

Digna de nossa homenagem, nossa professora, muito firme e com a ajuda da família, seu noivo, amigos e principalmente de Deus que a ajudou a suportar tudo isso, louvamos a Deus por seu testemunho nesse dia.

Nos cabe acreditar, que, se um país melhor passa pelas mãos dos professores, o Senhor permitiu às mãos da nossa professora Adrieli serem poupadas da fatalidade pois Deus tem um projeto muito maior para ela.

Já dizia o poeta: benditas as mãos amorosas, generosas e caridosas do professor. Mãos acolhedoras, puras e integras. Mãos que abraçam, afagam, abençoam. Mãos que acolhem, aceitam e ajudam. Mãos que curam, consolam e conduzem. Mãos que constroem, com partem e edificam. Mãos que ensinam, esperam e entendem. Mãos que entregam, guardam, indicam. Mãos que louvam, perdoam e protegem. Mãos que purificam, rezam, repartem. Mãos que recebem, recolhem, servem. Mãos que semeiam, suplicam, socorrem. Mãos que unem, nutrem, sustentam. Honradas as mãos de concórdia, Vida, paz, ternura. Mãos de perdão, mãos de oração, mãos que suplicam. Que as minhas mãos sejam defensoras da Vida.

Vemos nas linhas a seguir, a emoção com que Adrieli relata o acidente:

“Primeiramente gostaria de agradecer a Deus que me deu forças e em nenhum momento me senti sozinha. Confiei n’Ele que tudo iria dar certo. Gostaria de agradecer minha família, meus amigos e meu noivo Adriano konkel que esteve comigo todos os momentos me dando forças, me acalmando e cuidando de mim. E agradeço à tantas pessoas que oraram por mim mesmo sem me conhecer mas que tomaram conhecimento do que aconteceu comigo. Foi o que me fortaleceu, a erguer a cabeça e enfrentar tudo isso. Me sinto mais forte e creio que minha recuperação será completa, pois Deus nunca faz uma obra pela metade”, afirma Adrieli.


Se desejar ouvir, é só clicar no “Play”

O “Momento de Reflexão” você ouve de Segunda a Sexta-feira às 18:45 no programa Vozes da Paz pela rádio São José FM em 96,9, Deus abençoe.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *