Como são feitas as citações bíblicas?

Devemos compreender que a Bíblia é a Palavra de Deus escrita para os homens e pelos homens; logo, ela apresenta duas faces: a divina e a humana. Logo, para poder interpretá-la bem é necessário o reconhecimento da sua face humana, para depois, compreender a sua mensagem divina.

Não se pode interpretar a Sagrada Escritura só em nome da “mística”, pois muitas vezes podemos ser levados por ideias religiosas pré-concebidas, ou mesmo podemos cair no subjetivismo.

Por outro lado, não se pode querer usar apenas os critérios científicos (linguística, arqueologia, história,…); é necessário, após o exame científico do texto, buscar o sentido teológico.

A Bíblia não é um livro caído do céu, ela não foi ditada mecanicamente por Deus e escrita pelo autor bíblico (= hagiógrafo), mas é um Livro que passou pela mente de judeus e gregos, numa faixa de tempo que vai do século XIV a.C. ao século I d.C. E por causa disto é necessário usar uma tradução feita a partir de originais e com seguros critérios científicos.

Os escritos bíblicos foram inspirados a certos homens; isto é, o Espírito Santo iluminou a mente do hagiógrafo a fim de que ele, com sua cultura religiosa e profana, pudesse transmitir uma mensagem fiel à vontade de Deus. A Bíblia é portanto um livro humano-divino, todo de Deus e todo do homem, transmite o pensamento de Deus, mas de forma humana. É como o Verbo encarnado, Deus e homem verdadeiro. É importante dizer que a inspiração bíblica é estritamente religiosa; isto é, não devemos querer buscar verdades científicas na Bíblia, mas verdades religiosas, que ultrapassam a razão humana: o plano da salvação do mundo, a sua criação, o sentido do homem, do trabalho, da vida, da morte, etc.

Não há oposição entre a Bíblia e as ciências naturais, ao contrário, os exegetas (estudiosos da Bíblia) usam das línguas antigas, da história, da arqueologia e outras ciências para poderem compreender melhor o que os autores sagrados quiseram nos transmitir.

Mas é preciso ficar claro que a revelação de Deus através da Bíblia não tem uma garantia científica de tudo o que nela está escrito. É inútil pedir à Bíblia uma explicação dos seis dias da criação, ou da maneira como podiam falar os animais, como no caso da jumenta de Balaão. Esses fatos não são revelações, mas tradições que o autor sagrado usou para se expressar.

A própria história contida na Bíblia não deve ser tomada como científica. O que importa é a “verdade religiosa” que Deus quis revelar, e que às vezes é apresentada embutida em uma parábola, ou outra figura de linguagem.

O mais importante é entender que a verdadeira leitura bíblica deve sempre ter em vista a finalidade principal de toda a Sagrada Escritura que é a de anunciar Jesus Cristo e dar testemunho de sua pessoa. Para aqueles que viviam no Antigo Testamento, se tratava apenas de um Salvador desconhecido, que viria. Mas para nós, se trata do Salvador que “habitou no meio de nós”, e que ressuscitado está no meio de nós até o fim dos tempos, quando voltará visível e glorioso para encerrar a história.

Por ser Palavra de Deus, a Bíblia nunca envelhece, nem caduca; ela fala-nos hoje como para além dos séculos. Cristo é o centro da Sagrada Escritura. O Antigo Testamento o anuncia em figuras e na esperança; o Novo Testamento o apresenta como modelo vivo.

O Catecismo nos ensina que “Deus, na condescendência de sua bondade, para revelar-se aos homens, fala-lhes em palavras humanas” (§101).

“Através de todas as palavras da Sagrada Escritura, Deus pronuncia uma só Palavra, seu Verbo único, no qual se expressa por inteiro” (§102).

“Com efeito, as palavras de Deus, expressas por linguagem humana, tal como outrora o Verbo do Pai Eterno, havendo assumido a carne da fraqueza humana, se fez semelhante aos homens” (DV,13).

Santo Agostinho ensinava que:

“É uma mesma Palavra de Deus que se ouve em todas as Escrituras, é um mesmo Verbo que ressoa na boca de todos os escritores sagrados, ele que, sendo no início Deus, junto de Deus, não tem necessidade de sílabas, por não estar submetido ao tempo”(Sl 103,4,1).

Somente as palavras originais com as quais a Bíblia foi escrita (hebraico, aramaico e grego) foram inspiradas; as traduções não gozam do mesmo carisma da inspiração; é por isso que a Igreja sempre teve muito cuidado com as traduções, pois podem conter algum sentido que não foi da vontade do autor e de Deus.

As traduções devem ser fiéis aos originais; e isto não é fácil.

Como são feitas as citações bíblicas?

É comum abreviarmos os nomes dos livros da Bíblia para facilitar a citação de certas passagens.

Em geral, os católicos adotam o seguinte elenco de abreviaturas:

ANTIGO TESTAMENTO Pentateuco Gn Livro da Gênese
Ex Livro do Êxodo
Lv Livro do Levítico
Nm Livro dos Números
Dt Livro do Deuteronômio
Históricos Js Livro de Josué
Jz Livro dos Juízes
Rt Livro de Rute
1Sm 1º Livro de Samuel
2Sm 2º Livro de Samuel
1Rs 1º Livro dos Reis
2Rs 2º Livro dos Reis
1Cr 1º Livro das Crônicas
2Cr 2º Livro das Crônicas
Esd Livro de Esdras
Ne Livro de Neemias
Tb Livro de Tobias
Jud Livro de Judite
Est Livro de Ester
1Mc 1º Livro dos Macabeus
2Mc 2º Livro dos Macabeus
Sapienciais Livro de Jó
Sl Livro dos Salmos
Pr Livro dos Provérbios
Ecl Livro do Eclesiastes
Ct Cântico dos Cânticos
Sb Livro da Sabedoria
Eclo Livro do Eclesiástico
Proféticos Is Livro de Isaías
Jr Livro de Jeremias
Lm Livro das Lamentações
Br Livro de Baruc
Ez Livro de Ezequiel
Dn Livro de Daniel
Os Livro de Oséias
Jl Livro de Joel
Am Livro de Amós
Ab Livro de Abdias
Jn Livro de Jonas
Mq Livro de Miquéias
Na Livro de Naum
Hab Livro de Habacuc
Sf Livro de Sofonias
Ag Livro de Ageu
Zc Livro de Zacarias
Ml Livro de Malaquias
NOVO TESTAMENTO Evangelhos Mt Evangelho segundo Mateus
Mc Evangelho segundo Marcos
Lc Evangelho segundo Lucas
Jo Evangelho segundo João
Atos At Atos dos Apóstolos
Epístolas Rm Epístola aos Romanos
1Cor 1ª Epístola aos Coríntios
2Cor 2ª Epístola aos Coríntios
Gl Epístola aos Gálatas
Ef Epístola aos Efésios
Fl Epístola aos Filipenses
Cl Epístola aos Colossenses
1Ts 1ª Epístola aos Tessalonicenses
2Ts 2ª Epístola aos Tessalonicenses
1Tm 1ª Epístola a Timóteo
2Tm 2ª Epístola a Timóteo
Tt Epístola a Tito
Fm Epístola a Filemon
Hb Epístola aos Hebreus
Tg Epístola de Tiago
1Pd 1ª Epístola de Pedro
2Pd 2ª Epístola de Pedro
1Jo 1ª Epístola de João
2Jo 2ª Epístola de João
3Jo 3ª Epístola de João
Jd Epístola de Judas
Profético Ap Apocalipse de João

Por exemplo, quando quisermos citar a Primeira Epístola aos Tessalonicenses, basta escrever 1Ts.

A seguir, informamos o capítulo. Assim, 1Ts 2 significa Primeira Epístola aos Tessalonicenses, capítulo dois.

Para fazermos citações mais completas, usamos alguns sinais de pontuação:

  • vírgula separa os versículos do capítulo.
    Ex.: Mt 16,18 significa Evangelho segundo Mateus, capítulo 16, versículo 18.
  • hifen apresenta uma sequência de capítulos ou versículos.
    Ex.: At 1-2 significa Atos dos Apóstolos, capítulos 1 e 2 (integrais).
    Ex 15,2-5 significa Livro do Êxodo, capítulo 15, versículos 2 à 5.
  • ponto apresenta capítulos e/ou versículos citados isoladamente.
    Ex.: 1Cr 1.3 significa Primeiro Livro das Crônicas, capítulos 1 e 3.
    Is 32,1.4.6 significa Livro do Profeta Isaías, capítulo 32, versículos 1, 4 e 6.
  • ponto e vírgula dispõe capítulos e versículos isolados, mas pertencentes ao mesmo livro.
    Ex.: Jo 3,23-25; 6,1-4 significa Evangelho segundo João, capítulo 3, versículos de 23 à 25 e capítulo 6, versículos de 1 à 4.

Algumas Bíblias podem usar “s” e “ss” a seguir do número do capítulo e/ou versículo. “s” significa seguinte e “ss”, seguintes.

São usados para simplificar – ainda mais – a citação, respectivamente, de dois ou três capítulos e/ou versículos.
Ex.: Rm 2,5s significa Epístola aos Romanos, capítulo 2, versículos 5 e 6 (isto é, o versículo 5 e o seguinte).

Ap 6,7ss significa Livro do Apocalipse, capítulo 6, versículos de 7 à 9 (isto é, o versículo 7 e os dois seguintes).
Tg 1s significa Epístola de Tiago, capítulos 1 e 2 (isto é, o capítulo 1 e o seguinte).

Com todas essas abreviações e sinais podemos montar e citar, de forma bem resumida, qualquer passagem Bíblica.

Ex.: Lv 1,12-15.20; 3,2s; Mc 1,3ss.10; 2Cor 3-5 significa, respectivamente:

– Livro do Levítico, capítulo 1, versículos de 12 à 15 e o versículo 20; no mesmo Livro do Levítico, capítulo 3, versículos 2 e 3.
– Evangelho segundo Marcos, capítulo 1, versículos de 3 à 5 e o versículo 10.
– Segunda Epístola aos Coríntios, capítulos de 3 à 5.

Fonte: Como ler a Bíblia? / www.bibliacatolica.com.br
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *