“Não há como ser um padre vicentino, ou mesmo padre, sem ter amor pelos pobres”, afirma Padre Euzébio

Hoje vamos conhecer um pouco da história vocacional do Padre Euzébio Spisla.

Com 72 anos de idade e 45 anos de sacerdócio, Padre Euzébio apaixonado pelo carisma Vicentino desde criança, diz que: Não há como ser um padre vicentino, ou mesmo padre, sem ter amor pelos pobres.

Filho de Pedro Espisla Filho e Marta Baude Spisla, Euzébio nasceu em 20.02.1946, em Santa Cândida – Curitiba – PR.
Foi coroinha na comunidade onde morava, e se admirava da maneira como os padres trabalhavam na paróquia. De uma família muito religiosa e bastante ativa na comunidade, Euzébio ao olhar para o exemplo dos pais, irmãos, e da admiração com os padres vicentinos da comunidade, conta que esses exemplos teve grande influência no desejo de ir para o seminário.

Cursou o primeiro e segundo grau no seminário menor São Vicente de Paulo em Auracaria – PR, onde cursou também os estudos em Filosofia. Graduou-se em Teologia no ano de 1973 no Studium Teologicum – Curitiba PR.

Sua ordenação presbiteral foi no dia 29 de junho de 1973 – Na igreja Nossa Senhora de Guadalupe Curitiba PR – por Dom Pedro Fedalto.

Padre Euzébio trabalhou vários anos nas missões populares, foi superior provincial na congregação da missão em 3 gestões, trabalhou na direção das irmas vicentinas, as filhas da caridades. Trabalhou com a pastoral carcerária e pastoral da terra – experiência com os acampamentos sem-terra. E atualmente, trabalha como Vigário Paroquial na Matriz São José – Mafra SC.

Com 72 anos de idade e 45 anos de sacerdócio, Padre Euzébio apaixonado pelo carisma Vicentino desde criança, diz que: Não há como ser um padre vicentino, ou mesmo padre, sem ter amor pelos pobres.

No ano de 2017 o carisma vicentino completou os seus 400 anos com o tema: “Contra as pobrezas, agir juntos”.


Ouça a entrevista à radio São José


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *