Felipe Pcheidt: Uma vida amparada pela fé, amor e cuidado da família


 

Ouça a entrevista ao programa vozes da paz


 
A Devoção à Nossa Senhora Aparecida foi o amparo em todos esses anos com o tratamento do menino, contam os pais de Felipe.

Foi através de um vídeo gravado por um grupo de pessoas que visitavam a família e o divulgado nas redes sociais, que conhecemos a história do menino Felipe Pcheidt. Um guerreiro numa família simples do interior de Mafra. Uma história marcada pela luta pela vida desde o seu nascimento.

A história do Felipe começou há 9 anos atrás. Na época, os pais Renildo Pecheidt e Josiane Kuiaski Pscheidt moravam no interior de Mafra na comunidade de Rio Branco. Enquanto estava grávida de Felipe, a mãe Josiane enfrentava sérios problemas de saúde, diabetes e pressão alta. Felipe nasceu com 8 meses. Quando tinha 1 ano e 3 meses teve complicações e precisou ser transferido urgente para a cidade de Joinville.  Chegando lá foi diagnosticado com meningite. Retornando a Mafra, pois o tratamento precisava ser realizado nessa cidade, a família de Felipe teria a partir desse momento que iniciar um novo caminho no tratamento de saúde do menino.

A rotina da família mudaria, e mais do que nunca, a família precisou se unir em aprender e entender a como lidar com a nova situação do filho; as coisas mais simples como se alimentar para Felipe era um desafio…

No tratamento Felipe foi diagnosticado com Neurofibromatose; Displasia Ectodérmica; problemas de pulmão onde Felipe sofre de refluxo e Síndrome de colo.

O tempo passou… Hoje Felipe tem 9 anos; não anda, não fala e pouco se movimenta., precisa estar o tempo todo deitado no seu leito; Precisa de cuidado integral.

Quando não está acometido de dores, ou há piora no estado de sua saúde, é levado à APAE. Contudo, há aproximadamente 2 meses teve mais uma complicação – broncoaspirou –  e tiveram de ir as pressas ao hospital infantil em Blumenal, onde o pai conta que foi uma dos momentos mais difíceis… o medo de perder o filho, pois os enfermeiros diziam: “você está vendo o seu filho entrar, mas não irá sair… o Senhor pode se despedir dele”. Mas graças à fé dos pais, Felipe superou o internamento e voltou para casa.

O pai de Felipe, Sr. Renildo trabalha como trabalhador autônomo, trabalha como pedreiro; e conta que nem sempre consegue dinheiro para o tratamento do filho. Pois, tudo é caro e o menino usa certos recursos diários, não chegando o dinheiro da família, portanto, precisam de doações.

A mãe Josiane Pcheidt também sofre com inúmeros problemas de saúde: Diabetes, pressão alta, síndrome pânico, colesterol e depressão; a mãe doa sua vida pela vida de Felipe. Devido aos problemas de saúde Josiane precisa da ajuda do esposo para levar Felipe ao hospital, e até os afazeres de casa, precisam ser adequados ao cuidado integral do filho, como adaptação da cozinha, lavanderia entre outros.

A Família conta hoje com uma cama emprestada do hospital por tempo indeterminado.  Um dos maiores desafios hoje para a família é o transporte. O pai Renildo conta que necessita de um transporte especial para poder locomover o filho ao hospital, nas consultas, e que o carro que a família tem já não suporta transportar Felipe. Melhorias precisam ser feitas na casa da família Pscheidt para o filho portador de necessidades especiais. Além das necessidades básicas como fraldas, roupas, leite especial, equipo e frasco; utensílios essenciais para o tratamento de Felipe.

Assista ao vídeo gravado pelo grupo ECC do Santuário Nossa Senhora Aparecida de Mafra – SC

 
A família recentemente abriu uma conta bancária para o Felipe onde toda a ajuda será revertida para a criança.

Doações para o Felipe

 
Nome: Renildo Pscheidt.
Caixa Econômica.
Poupança Banco: 104.
Agência: 0878
conta: 26.945-6
Operação 013
CPF: 948.000.069-53
 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *